terça-feira, 15 de junho de 2010

CUSTO CONTÁBIL X CUSTO GERENCIAL

É comum no nosso dia a dia nos depararmos com situações do tipo: “Em cruzeiro é custo e em dólar é diferido”. Isto quer dizer que no custo contábil (ou fiscal) vamos contabilizar como custo (ou despesa) e no custo gerencial como diferido (ou custo antecipado).
Normalmente quando isso ocorre à boa técnica contábil manda ativar o gasto, pois o fato de não lançar no custo gerencial nunca deve ser em função de “mascarar” o custo. Já no custo fiscal envolve o planejamento tributário e as características da mineração permitem decisões de sério risco como o de se lançar em custo um gasto que tecnicamente seria ativado.
Por exemplo, o gasto com desenvolvimento sempre foi aceito pelo fisco como custo de produção.Com isso quase que se faz dentro de uma mina podemos contabilizar como custo, mesmo que saibamos que o gasto não está gerando produção e que beneficiará a produção futura ou mesmo pelo resto da vida útil da mina.
Esta prática deve ser realizada com bastante critério e em comum acordo com a área de produção, para que eventuais auditorias externas ou mesmo ação do fisco, nossos engenheiros possam dar versões técnicas que não existem dúvidas de que os gastos são realmente custos.

Alguns exemplos deste tipo de situação são:
*Construção de rampas de acesso às frentes de trabalho;
*Construção de poços dentro das minas;
*Desenvolvimento de galerias de tráfego nas minas;
*Perfuração dos corpos de minério sem que haja o seu desmonte, ou seja, formação de estoque de minério perfurado dentro da mina.
*Outros tipos de gastos que possam surgir.
Atenção deve ser dada a esta prática, pois os contadores devem estar cientes e bem informados sobre o que está ocorrendo. Mais uma vez é fundamental que o profissional de custos conheça muito bem o processo produtivo e, ainda,visite periodicamente as áreas de produção a fim de se saber o que está ocorrendo .Não podemos esquecer que os engenheiros não possuem a mesma formação acadêmica de nossos profissionais e que sua maior preocupação é em produzir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário